Portal do Governo Brasileiro

Temas de caráter psicológico e comportamental marcam Encontro Pedagógico do campus Petrolina

 

Foi realizado, nesta segunda-feira (8), o Encontro Pedagógico 2017.1, que deu início às atividades letivas do campus Petrolina do IF Sertão-PE. O evento, realizado pela Direção de Ensino e o Núcleo de Ações Pedagógicas, aconteceu no Auditório do campus e contou com a presença de docentes e equipe pedagógica. A abertura foi realizada pelo Diretor-Geral do campus, Fabiano Marinho, e a Diretora de Ensino, Danielle Martins, que deram boas-vindas aos docentes. Marinho apresentou um balanço da sua gestão e finalizou desejando um excelente retorno aos mestres.


Diretor-Geral, Fabiano Marinho, e Diretora de Ensino, Danielle Martins, recepcionam os mestres

A Direção de Ensino e o Núcleo de Ações Pedagógicos atentos à realidade atual, abordaram temas acerca de aspectos comportamentais e psicológicos de jovens. A recente repercussão de jogo virtual que estimula comportamentos de automutilação e suicídio, e casos percebidos no campus foram determinantes para escolha. “Foi a partir de diagnóstico feito na sociedade e dentro do próprio Instituto que optamos pela temática. Com essa palestra, percebemos a relevância do tema e como é importante professores e equipe pedagógica estar instruídos para perceber e agir diante dos casos com os quais nos deparamos continuamente”, explicou Kelle Maria, pedagoga e organizadora do evento.


Professores participam do evento que inicia as atividades letivas no campus Petrolina

Profissionais de saúde mental estiveram presentes. Os especialistas esclareceram fatores que levam a comportamentos depressivos e o efeito contagio que possuem, potencializados pelas redes sociais. Também, orientaram como os mestres podem identificar sinais de possíveis transtornos, além de quais são os fatores de prevenção e risco. Segundo o psicanalista Sílvio Gabriel: “A instituição, por ser de grande porte e ter como maior público jovens e adolescentes, terá muitos casos em que será preciso uma atenção especial. Por isso, os professores precisam saber o que fazer e ter um aparato psicológico para os auxiliarem. Pois, só assim, pode-se evitar fatalidades”, ressaltou.



Profissionais de saúde mental orientam os docentes
 

O tema suscitou bastantes dúvidas e instigou a classe docente, que participou com perguntas e sugestões. A professora do curso de Licenciatura em Química, Gizelle Ângela, disse que atitudes atípicas existem no ambiente escolar e que é importante o debate sobre o tema. “Hoje estamos vivendo uma realidade difícil, com toda essa questão de automutilação e suicídio. Então, esse momento para reflexão e discussão vem fortalecer a forma como vamos lidar com nossos alunos, fazendo com que tenhamos uma conduta correta, ajudando-os a resolver seus problemas juntos com a Instituição”, pontuou. 



Mestres tiram dúvidas acerca do tema abordado


O evento, que durou o dia todo, teve palestras sobre: “Ciência e Inovação”, ministrada pelo professor, Sérgio Dalmas e “Nível de Stress no Trabalho Docente”, coordenado pela professora e pesquisadora, Patrícia Pereira. Orientações sobre o uso do sistema interno e da frequência online, também, foram explanadas.